Amazônia em chamas

Luiz Maia

Eu fico a pensar no poder destruidor que acompanha o homem através dos séculos. Em nome de um pseudoprogresso, nossas florestas estão sendo dizimadas, as queimadas prosperam, os rios secam e os homens morrem de sede e de fome. A Amazônia agoniza. A natureza chora. É lamentável saber que o IBAMA está sucateado, sem condições de exercer sua função fiscalizadora. Mais uma prova de que natureza e meio ambiente estão esquecidos neste País. Sai Governo entra Governo e os nossos recursos naturais são relegados a planos secundários. Qualquer criança percebe que a conservação, preservação e proteção ambiental inexistem no País. É muito triste de se notar que a irresponsabilidade do comércio madeireiro na Amazônia vem provocando uma seca nunca vista, baixando o nível das águas dos rios e provocando a morte de milhões de peixes. Esse crime hediondo, que tem como causa a destruição ambiental inconsequente, queimadas criminosas, é uma coisa impensável na maior bacia hidrográfica do Brasil. Uma das maiores do mundo.

Às vezes me ponho a pensar quão infrutíferas têm sido as campanhas visando uma maior consciência para a preservação da natureza por parte dos homens, havidas nas escolas no "Dia da Árvore". Vemos as crianças a plantar mudas de Pau-Brasil, de forma ingênua e simbólica, sem imaginar que, naquele instante, pessoas insanas continuam a desmatar e a queimar florestas inteiras - sem dó nem piedade. É importante termos a consciência de que enquanto não plantarmos florestas em quantidade suficiente para suprir a demanda mundial de produtos florestais, preservando desse modo os ecossistemas naturais - fundamentais para a vida do planeta -, a humanidade continuará a enfrentar o dilema do aquecimento global e suas trágicas consequências.



 

  ooo

Conversa de fim-de-semana

Página Principal