Homenagem às professoras

Luiz Maia

Minha preocupação com o Brasil não vem de hoje. Quando assim procedo o faço pensando no bem-estar coletivo. Vejo nas crianças o futuro deste País. Daí a minha necessidade de fazer com que as pessoas reflitam sobre qual o País que estamos legando para os nossos filhos. Na sexta-feira passada eu tive o prazer de participar da culminância de um Projeto denominado "Solidariedade e Paz", promovido pelas professoras do Educandário Nossa Senhora de Lourdes - Recife/PE, convidado que fui para realizar uma palestra para várias crianças na faixa etária de sete a doze anos. Pela porta da consciência, as professoras buscaram cristalizar nesses alunos a cultura da paz e da solidariedade entre irmãos. Coube-me o papel de demonstrar, para cerca de duzentas crianças ali presentes, as dificuldades encontradas no dia-a-dia das pessoas portadoras de alguma deficiência, seja física, auditiva ou visual. Nada poderia me acontecer melhor do que poder aprender um pouco mais com todos que ali estavam. Foram momentos especiais vividos por mim.

Foi interessante presenciar o belo trabalho dessas professoras, incutindo desde cedo na mente do alunado a necessidade de todos lutarem pela paz, imbuídos do mais alto espírito solidário, visando a inclusão social. Principalmente quando sabemos que a pedagogia vigente é vítima dos efeitos colaterais da cultura de violência, predominando no mundo desde que a consciência manifestou-se no ser humano. De lá para cá, não conseguimos aprender as relações pacíficas. As escolas do mundo sofreram, ao longo da história, a dominação da cultura da violência. Hoje, nunca se falou tanto em violência nas escolas. Por que os homens se tornaram tão violentos? Por que não ajudamos a fazer uma sociedade melhor? As ações desenvolvidas por essas professoras nos levam a pensar que estamos presenciando o início de mudanças neste País. Sejamos finalmente contemporâneos desse processo de evolução da nossa sociedade. Louvemos por isso!

  ooo

Conversa de fim-de-semana Página Principal