Tudo começou com um simples ok, wc, bye, bye...

Luiz Maia

Por vezes já demonstrei a necessidade que temos de preservar a nossa cultura. Agora eu lanço um alerta especial sobre o descaso que algumas pessoas têm contra a nossa Língua. Creio que todos deveriam atentar para o grau de imbecilização a que chegamos quando adentramos um Shopping e lemos, em várias de suas lojas, absurdos como esse: "LIQÜIDAÇÃO!! = 50 % off" - Pouca vergonha... Mais que um crime contra nossa Língua, é de um mau gosto a toda prova. Fatos como esses começam a ganhar cada vez mais espaço porque encontram na população idiotizada terreno fértil para que mais idiotas propaguem suas asneiras.

Até entendo a indiferença de muitas pessoas em relação à necessidade que temos de salvaguardar o nosso idioma, mas faço questão de dizer que a Língua portuguesa merece ser considerada como um patrimônio do povo. No entanto, dificilmente deixarei de me indignar quando sou atingido em minhas convicções. Sabe-se que a Língua está sempre em processo de mutação, com algumas palavras caindo em desuso enquanto outras se incorporam ao nosso dicionário. Esse é um fato inquestionável. Mas daí a ter que fazer mau uso dessa regra, é demais também.

Vivemos num país em que 93 % da população não têm capacidade sequer de assimilar nossa gramática. Eu falo (também) em nome dessas pessoas simples que mal sabem assinar seu nome e que são desrespeitadas diariamente por um modismo esdrúxulo que busca enxovalhar uma Língua que deveríamos respeitar. Assumo o meu conservadorismo, sem antes deixar de falar que sou pernambucano, contemporâneo de Gilberto Freyre - aquele que escreveu "Casa Grande e Senzala" que aborda, entre outras coisas importantes, a miscigenação que ocorreu neste País propiciando a saudável multiculturalidade: a pluralidade de raças, etnias, idiomas, crenças e costumes. Mas hoje eu me reporto apenas à necessidade que temos de elevar a nossa Língua. Tão-somente isso. Tudo começou com um simples ok, wc, bye, bye...

   ooo

Conversa de fim-de-semana Página Principal