"As bênçãos vêm em formatos tão simples como o cumprimento usado normalmente na Índia.

Quando se encontram, os indianos abaixam as cabeças e dizem Namastê: vejo a centelha divina dentro de você.

Com freqüência somos enganados pela aparência das pessoas, sua idade, doença, raiva, mesquinhez, ou estamos apenas ocupados demais para reconhecer que existe bondade e integridade em cada um de nós, mesmo que estejam escondidas.

Estamos com muita pressa ou distraídos demais para parar e observá-las.

Quando reconhecemos a centelha de Deus no outro, nós a reacendemos com nossa atenção, tornando-a mais forte, ainda que esteja profundamente enterrada há muito tempo.

Quando abençoamos alguém, tocamos a bondade guardada nessa pessoa e desejamos que ela se desenvolva."

do livro As bênçãos do meu avô - Rachel Naomi Remen

 Ir para página principal Voltar "C" Voltar autor Ir para Autores

 

 

 

 Voltar página principal Voltar

1