"Consideradas sob a ótica da paz como equilíbrio do movimento, as sociedades atuais são profundamente destruidoras das condições da paz.

Vivemos dilacerados por radicalismos, unilateralismos, fundamentalismos e polarizações insensatas em quase todos os campos.

A concorrência na economia e no mercado, tornada princípio supremo, esmaga a cooperação necessária para que todos os seres possam viver e continuar a evoluir.

O pensamento único da ideologia neoliberal, levado a todos os quadrantes da Terra, destrói a diversidade cultural e espiritual dos povos.

A imposição de uma única forma de produção, com a utilização de um único tipo de tecnologia e de administração, maximalizando os lucros, encurtando o tempo e minimalizando os investimentos, devasta os ecossistemas e coloca sob risco o sistema vivo de Gaia.

As relações profundamente desiguais entre ricos e pobres, entre norte e sul, produzem ressentimentos, insurreições e vontade de vingança.

Religiões que se consideram portadoras exclusivas de revelação divina diminuem o valor de outras religiões da humanidade, reforçam a arrogância e geram também conflitos e guerras devastadoras.

Todos estes fenônemos são manifestações da destruição do equilíbrio do movimento e, por isso, da paz tão ansiada por todos.

É possível construirmos a paz?"

Leonardo Boff, do livro "Do iceberg à Arca de Noé

 

Ir para página principal Voltar "P" Voltar autor Ir para Autores

1