Escuta-me

Luiz Maia

Que privilégio tem sido amanhecer cercado por carinhos, em forma de palavras,

de atitudes e gestos que vêm de ti.

Já é manhã, e meu canto se faz ouvir pelos bosques da cidade,

a agradecer pelas mãos que tecem a vida e cuidam de mim.

Vês a brisa por acaso?

Assim sou eu a te acarinhar, aquele que vive para te querer bem,

sempre zelando pelo teu bem-estar.

Não penses jamais que um dia eu poderei te esquecer.

Como esquecer a mulher que tanto amo, que me inspira e que de mim só recebe flores?

Meus carinhos serão sempre teus.

Vês como te chamo?

Escuta-me nas noites de frio a chamar-te, tu que aqueces a minha alma,

espantando a solidão

que um dia me fez morada.

Vem de vez aos braços meus, entrega-me aquilo que de melhor existe em teu viver.

Dá-me o teu corpo agora, pois dele farei minha morada.

ooo

Poesias Página Principal