Lembrança do Recife

Luiz Maia

Hoje eu lembro do Recife, em meio à imensa saudade.

São lembranças das noites mornas, em frente ao Capibaribe; do canto das cigarras anuciando o entardecer; das ruas repletas de frondosos oitizeiros, tornando amena e agradável a vida neste lugar.

E quão belos eram os entardeceres do meu Recife, quando o crepúsculo fazia-me imaginar não existir lugar mais lindo no mundo.

O seu imponente casario, os altos coqueiros, o verde das matas e praças públicas, sua cultura, seus folguedos populares, tudo isso vive em mim como se fora tatuagem.

O cheiro do Recife é diferente: tem a fragrância dos sapotis, das carambolas, das mangueiras, dos cajueiros, das ameixas e araçás.

Tem sabor de ipês, das castanholas, dos flamboiants e manguezais.

Recife, cidade dos rios e das pontes; Recife, saudade que mora em mim!

 ooo

Poesias Página Principal