Poema sem nome

Luiz Maia

Já não ouço vozes

Só silêncio vejo

No escuro do meu quarto

tudo lembra a ti.

O teu cheiro está no ar

E tuas lembranças me fazem

Companhia.

Essa distância, essa carência,

Essa dor em mim que não

Acaba.

Quisera ter tua sua cabeça sobre

O meu peito, a te fazer carinho,

A te fazer confidências no

Delírio de quem te ama tanto.

Agora só saudades...

Agora só existe a procura

Alucinada do querer ver...

Ver-te é o que preciso tanto

E em te vendo irei me descobrir

E te afagar como antes...

E tudo farei para nunca ter fim. 

 ooo

Poesias Página Principal