Desejo e contentamento

Luiz Maia

Haverá possibilidade de sentirmos contentamento diante de uma constante multiplicação de desejos?

Dizem os mais conservadores que desejos são como armadilhas infindáveis que tornam frágeis relacionamentos tidos como sólidos.

Outros, mais castos, creditam tais desejos à simples luxúria e ao descontrole do ego.

Pensando bem, olhando o lado prático das relações afetivas, talvez nosso coração não fique tranqüilo com os desejos que possam habitar a nossa mente, tirando-nos a paz de que tanto precisamos.

Embora saibamos que o contentamento é fruto da consciência espiritual, não podemos negar que saciar os desejos poderá nos levar ao êxtase.

Importante então é encontrarmos o ponto de equilíbrio na satisfação dos desejos para que haja contentamento e paz no coração.

  ooo

Reflexões Página Principal