O mistério do abraço

Luiz Maia

Dizem os orientais que, quando abraçarmos uma pessoa querida a quem amamos, devemos fazer da seguinte forma: inspirando e expirando três vezes, e aí sua felicidade se multiplicará pelo menos dez vezes. 

O efeito terapêutico do abraço é inegável.

Diante disso não podemos esperar para abraçarmos a quem queremos bem. 

Se você estiver sentindo um vazio interior, tente abraçar o seu amigo, deslizando delicadamente a mão sobre as costas dele, para que o possa sentir junto a você. 

Nos momentos de dor ou de alegria é que vemos o bem que um grande e demorado abraço nos causa. 

Pelo abraço, transmitimos emoções, recebemos carinho, trocamos afeto, compartilhamos alegria, amenizamos dores, demonstramos amizade, doamos amor, expressamos nossa humanidade. 

É tempo de enlaçarmos nossos braços num terno, profundo e afetuoso abraço. 

  ooo

Reflexões Página Principal