Permita-se ser feliz!

Luiz Maia

É claro que ninguém poderia estar contente perante os acontecimentos do mundo atual. A coisa é séria e andamos meio desencantados com a espécie humana. Não estamos sendo pessimistas nem querendo tirar o sono de ninguém. Apenas constatando uma realidade que vemos nas ruas, nas notícias dos jornais, na imprensa em geral. A esperança que reside em nós às vezes balança quando nos sentimos oprimidos, sufocados, impotentes e vulneráveis diante de tantas desventuras. Como não estar triste, se assim parece caminhar a humanidade: desenfreada, arrogante, incrédula e má?

A amizade que vem das pessoas que sequer conheço é que extrapola a barreira de nossas distâncias. Distâncias que de alguma forma têm nos unido além-palavras, e buscamos na esperança em conjunto um mundo melhor. São esses fatores que se contrapõem à onda de maldade que ameaça a todos nós, violências que grassam em cada esquina, como se nada de novo ou nada de bom fossem mais nos acontecer. As pessoas precisam se unir mais visando formar novas consciências, novos valores que venham trazer à humanidade uma perspectiva diferente de vida, algo que transforme para melhor o interior de cada um.


Uma coisa precisa ser dita para ser bem compreendida: eu sempre busquei na minha vida o bem comum, sinceramente falando. Imagino que seja preciso deixar de idealizarmos apenas e tentar retirar do papel os sonhos para que sejam transformados em ações. Asseguro-lhe que é essa minha consciência por um mundo mais justo e fraterno que me faz escrever coisas assim. É claro que eu gostaria muito de tê-los como especiais cúmplices dessa nossa energia que tenta melhorar o mundo. As pessoas quando boas projetam-se em textos assim por estarem igualmente preocupadas com o nascimento de um mundo melhor.

Enquanto os bons ventos não vêm, falta-me tempo para participar da vida de forma mais inteira e adequada aos meus princípios. Por enquanto só me resta dizer que, por mais que a vida nos empurre para a correria da falsa modernidade, sempre haverá em mim tempo necessário que me conduzirá à felicidade do meu habitual cotidiano. Isso porque nada me impedirá de ser feliz. Aliás, permito-me ser feliz - devemos agir sempre desse modo. Tenho a necessidade de ser feliz. E, quanto à questão do conceito que cada um tem da felicidade, pouco ou nada eu poderia analisar porque tenho outros afazeres que me conduzem por outros caminhos. A vida - em todo caso - é algo maravilhoso! E juro que sou um desses teimosos que ainda vislumbram um mundo melhor para todos.

  ooo

Reflexões Página Principal