Veredas de uma Vida

Luiz Maia

28

Os meses iam passando e os exercícios pareciam não surtir os efeitos desejados. Eu chegava a ficar de pé, mas me faltava o equilíbrio necessário para o simples caminhar. O meu companheiro de quarto chamava-se Fausto, este senhor fora vítima de um derrame cerebral. Certo dia uma família chegou para visitá-lo. De repente, uma moça se aproxima de mim e começa a me fazer inúmeras perguntas. Eu respondia uma a uma. Queria saber tudo de mim. Ao se retirarem, todos se despediram, falando também comigo. Acontece, que para minha surpresa, vi quando aquela loura entra correndo no quarto, e chegando perto de mim, foi logo me beijando dizendo: "tchau, amanhã eu volto!"

Eu não acreditava naquilo. Como uma moça bonita, nova e cheia de vida vem se enamorar de uma pessoa fragilizada, submetida a um leito de hospital? Logo eu que buscava me equilibrar nas pernas, na vida e no mundo. Eu estava meio bobo com aquilo tudo, quando na manhã seguinte ela cumpriu a sua palavra. Foi se chegando, e assim sentou-se na minha cama, sem nenhuma cerimônia. Estava à vontade como se nos conhecêssemos há muito tempo. Ela ficava me admirando, dizendo gostar das minhas mãos, dos meu pés, da minha boca, da minha cor... Ah!, essa Jane ou iria me levantar ou me derrubar de vez, pensei.

Eu não tinha estrutura para assumir namoro nenhum, pois estava envolvido numa bruta crise existencial, sem aceitar a possibilidade de não mais vir a andar. Mas deixei que as coisas fossem acontecendo, do modo mais esportivo possível, mesmo sabendo que poderia vir a me machucar adiante. Quis correr o risco, por que não? E todas as manhãs ela entrava rápido no meu quarto, vinda da Unicap, onde cursava Direito. Geralmente ficava das 11h00 às 13h00, quando se despedia de mim. Enquanto lá estava, ficávamos a nos beijar ardentemente. Meses depois soube que terminara seu noivado de dois anos, e sua família se voltara inteira contra ela, dizendo que estava vivendo uma simples e passageira ilusão, e que um dia poderia se arrepender disso. Fui obrigado a concordar com toda a família, mas...

 

o0o

 

Anterior Próximo Sumário

Página Principal